Archive for the ‘política’ Category

Da Série “Alertas para Protógenes”. Cena 3

26/09/2012

Da Série “Alertas para Protógenes”. Cena 2

26/09/2012

Da Série “Alertas para Protógenes”. Cena 1.

26/09/2012

O deputado federal Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) foi com seu filho Juan, de 11 anos, assistir o filme “Ted“, de classificação etária de 16 anos.

O filme Ted, que estreou na semana passada nos cinemas brasileiros, mostra um ursinho viciado em drogas.

Protógenes se disse “indignado” e “revoltado” depois de assistir ao filme e resolveu pedir sua proibição, segundo informou o Estadão.

Parece que Protógenes desistiu dessa “façanha” em defesa das crianças que – levadas pelos próprios pais – assistem a filmes em faixas de classificação acima de suas  idades.  Agora ele quer, porque quer, que o Ministério da Justiça mude a classificação etária de 16 para 18 anos.

Esse recente – e bizarro – episódio envolvendo o nobre deputado me inspirou uma série de “figurinhas” de humor. Nelas procuro, de “forma didática”, alertá-lo para outros filmes que seu filho não deve ver e que podem enganar a ambos pelos seus títulos.

Na primeira “figurinha” de humor, um alerta básico ao representante do povo.

Imagem

A propaganda que está faltando nas ruas

21/09/2012

Ele só sai se for com bala.

10/11/2011

Sob nova suspeição

27/10/2011

Diálogos pertinentes

15/08/2011

Diálogos imaginários. Contando uma breve história em 3 tempos

28/07/2010

Era uma vez uma tele que recebeu muito, muito dinheiro público para ser 100% nacional, um orgulho. Mas, de repetente, seu criador decidiu oferecer um naco dela para aventureiros de além-mar.

Guerra é guerra

26/07/2010

Maradona estava presente quando Chavez  anunciou o corte das relações com a Colômbia e colocou o exército de prontidão na fronteira.
Será que Maradona ensinou prá Chavez a lição argentina: se os problemas internos do país vão de mal a pior, faça uma guerra e desvie a atenção?

Amor em tempo de cólera

26/07/2010

O amor bolivariano é lindo. Ainda que em tempos de cólera, depois que a Colômbia, na OEA,  denunciou a Venezuela por abrigar guerrilheros da FARC em seu território.
A denúncia levou Chavez a romper relações diplomáticas com o governo de Uribe e colocar o exército venezuelano de prontidão nas fronteiras.